Famílias

As casas de Noritvy

Na verdade, na verdade, esse post aqui esta fora de ordem. Antes de escrever sobre os brasões das principais famílias do continente, eu deveria falar dos brasões dos reinos pois, como verão abaixo, muitos estão intimamente correlacionados aos símbolos dos principais reinos do continente de Noritvy, mas me deu vontade de fazer o contrario.

Bianchi: é obvio que esse seria o primeiro brasão do qual eu falarei. O brasão dos Bianchi, como pode ser visto aqui, é azul, com uma cruz branca e uma rosa vermelha cruzada por cima. O brasão está intimamente associado à história do casal que fundou a casa no continente de Noritvy, trazendo a cruz como símbolo da fé introduzida por ele e a rosa como o presente que ele deu à ela. Inicialmente eu pensei em um brasão branco, uma vez que esse é o significado de Bianchi mas achei que ficaria um tanto “pobre”. Como azul é a cor dos detalhes da armadura do Cavaleiro Branco e o primeiro a usa-la foi justamente o fundador da casa, achei que tinha à ver.

Fornorimar: este é o brasão que justifica aquele parágrafo inicial. Quando estava escrevendo “O Retorno” e bolei o brasão do Reino de Arlon, de cara defini que as cores dos Fornorimar seriam branco e vermelho mas eu nunca havia pensado em como seria o brasão propriamente dito. Só parei para pensar nisso quando comecei a refazer os brasões dos reinos com imagens vetoriais. Inicialmente o brasão de Arlon era dividido em quatro campos, com dois azuis, nas cores dos Bianchis e dois que seriam brancos com borda vermelha mas, na hora de passar pro vetorial, ficou feio, assim optei pela padrão listrado vermelho e branco. Na hora de desenhar o brasão, foi simples: o padrão listrado no fundo, o castelo, que eu havia definido como o símbolo da casa Fornorimar, devido às fortalezas fundadas por eles e duas espadas cruzadas atras. Ah, o brasão pode ser visto aqui.

Ralit: embora eu fale muito pouco da casa de Ralit em “O Retorno”, é uma casa que criei para ser a casa rival dos Bianchi. Como é uma família de cavaleiros, adotei o cavalo como símbolo deles e, para fazer contraste para o azul dos Bianchis, adotei o vermelho como cor de fundo. Os raios no brasão, que se vê aqui, eu acrescentei após escrever o texto sobre as espadas lendárias (que faz parte do livreto “Noritvy: Material Complementar” que pode ser baixado na seção de Extras aqui do site) quando defini qual seria a arma lendária dos Ralit.

Tull: a casa de Tull é a casa governante do povo alado e, quando eu comecei a criar as bandeiras dos reinos e seus respectivos brasões, decidi que as cores do Reino Alado (o reino dos ahatars) seriam o verde e o amarelo e que o animal símbolo deles seria a águia. Assim é normal que o brasão da casa de Tull tivesse todos esses elementos. Alias, o brasão pode ser visto aqui.

Assus: outra casa pouco citada em “O Retorno” (para não dizer não citada), comanda o reino dos anões cavaleiros de grifos, por isso, no seu brasão, coloquei dois grifos amarelos junto de um martelo, como podem ver aqui.

Petrin: a outra casa real dos anões, a casa de Petrin governa o reino subterrâneo das Montanhas Negras, que, na minha concepção, seria um reino de escultores e artesãos, por isso, no brasão, como pode ser visto se clicar aqui eu usei ferramentas de escultor e as cores negra e amarela, que defini sendo as cores do reino das Montanhas Negras.

Aquamarine: essa casa, que não é citada em “O Retorno” surgiu por causa do brasão. Sim, é serio. Eu estava “brincando” de criar brasões, procurando imagens vetoriais adequadas quando encontrei um desenho bem legal de uma ancora dourada. Acrescentei ondas ao fundo, dois leões marinhos e “voi lá”, criei o brasão que eu acho o mais bonito de todos (e que vocês podem conferir clicando aqui). Diante de um brasão legal eu pensei que a família merecia uma história legal e assim, estabeleci que o fundador do clã, o primeiro Duque de Aquamarine seria um filho bastardo do segundo rei de Sudher (ou seja, um Bianchi) com uma elfa nobre casada, o que faria deles um ramo colateral e parente distantes da casa de Bianchi, ou seja, de Lucca e cia. E se ficastes curioso sobre eles, leitor, saiba que abordarei mais essa casa em historias que pretendo lançar futuramente.

E ai? De qual brasão você gostou mais, leitor? De qual família queres saber mais? Deixe seu comentário e, dentro do possível, responderei à todas as perguntas.